A sociedade marroquina é extremamente religiosa, de forma que a vida dos cidadãos depende quase exclusivamente do que é dito pela religião: os dogmas, as normas e os mandamentos do islamismo praticamente ditam como a vida de um “bom” marroquino deve ser. Com tanto “poder” atribuído à religião, a ciência quase sempre fica em segundo plano, eles levam mais em consideração a fé do que o próprio conhecimento científico. Isso pode ser comprovado pela falta de investimento nas áreas que estudam a ciência e promovem seu avanço, assim, eles importam muitas tecnologias de outros países e raramente produzem alguma internamente.

Ainda assim, não é certo generalizar que todo o Marrocos é cego pela religião: há universidades como a “Academia Hassan II” que tem como objetivo contribuir para o avanço científico tanto fora como dentro do país. Essa academia pode ser vista com uma tentativa de incluí-lo nas pesquisas e avanços tecnológicos produzidos no mundo inteiro. São selecionados os bolsistas com base em seus méritos; membros e associados nacionais (como residentes estrangeiros) também fazem parte do grupo de pesquisa que mantem a academia. A “Academia Hassan II” apoia financeiramente e explica os estudos científicos de importância nacional.

Diante disso, podemos concluir que, por mais que muitas vezes a religião seja rígida e vista como mais importante que a ciência, ela é à base da sociedade marroquina e, portanto, essencial para todos os integrantes dessa sociedade.

Uma das maneiras de incentivo à cultura marroquina é o Festival de Silves , na cidade de Silves.A tradição começou com a iniciativa da Câmara Municipal da cidade ; no festival é possivel conhecer mais sobre vários setores integrantes da cultura marroquina , entre eles: a culinária , a fotografia , artes decorativas e artesanato , estilos musicais , e literatura.
Aqui estão mais detalhes sobre alguns destes setores:

 

culinária:

durante o Festival , 3 chefs marroquinos participam do evento cozinhando alguns pratos típicos que tem como tema ingredientes do Marrocos.

artesanato:

o artesanato é uma tradição passada hereditariamente no Marrocos , de forma que as peças criadas  são , em geral , extremamente bem feitas e apreciadas mundialmente.Desde o século XVI , os artefatos em couro ganham destaque nas lojas , sendo bem valorizados e apreciados por vendedores e compradores. Além dessa matéria prima , são usados :ouro, cobre, louça e madeira, que não deixam de ser importantes para o comércio da região.

Cestaria: começou com uma necessidade dos habitantes e atualmente tem grande tradição.Para realizar objetos como lâmpadas ,cestas , mobiliários de jardim e chapéussão usadas : cana,palmeira anã e junco.

Joalheria: considerado outro antigo ofício marroquino , a confecção de jóias se baseia no ouro , mas prata e pedras preciosas tambem são bem utilizadas para criar as incríveis jóias , muito valorizadas na sua cultura.

   literatura:

A literatura do Marrocos se baseia em temas como:o próprio Marrocos e a sua história , arquitetura, sociologia, antropologia ( centrada nas pessoas de Marrakech).Existem muitos escritores marroquinos que produzem suas obras em espanhol , afim de difundir a língua no Marrocos.

 

A Academia Hassan II de Ciência e Tecnologia tem como objetivo aprimorar a prática cientifica no marrocos e contribuir para o conhecimento científico internacional. São selecionados os bolsistas com base em seus méritos. Foi criada no Marrocos em 18 de maio de 2006 pelo rei marroquino Mohammed VI. É composto por membros e associados nacionais como residentes estrangeiros. Podem servir durante quatro anos e renovar apenas uma vez. Também apoia financeiramente e explica os estudos cientificos de importancia nacional.

fonte:

 

 

A  maior parte da cultura imaterial se baseia na fé dos mulçumanos, fé que vem da religião dominante (islamism0).Por exemplo:

  • Devoção a seu deus, Alá
  • crença em anjos
  • São patriarcas , o que significa que o homem manda na família.

A economia marroquina baseia-se na agricultura (produtos como trigo,milho,cevada,citrinos,cana de açúcar e algodão),serviços,indústria transformadora e extração mineral (principalmente de fosfato).Além destes, o turismo também é bem importante para a economia do país.

 

retirado de:http://www.soeconomia.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=885&Itemid=113

data de acesso:01/05/09

A maioria dos marroquinos é islão , de forma que creem em um só Deus verdadeiro (Alá) , acreditam tambem na existência de um livro sagrado (Corão) e na distinção entre o bem e o mal.

 

retirado de:http://www.tudoemfoco.com.br/islamismo.html

data de acesso:01/05/09

O Marrocos compra tecnologia e não investe nas indústrias ou capacitação pessoal.O governo do país estaria inclusive negociando com o Embrapa,uma empresa brasileira, para produzir biodiesel,desenvolver a biotecnologia, pecuária, agroindústria e pastagens no mesmo.

 

retirado de:http://www.embrapa.br/imprensa/noticias/2008/fevereiro/2a-semana/crestana-recebe-embaixadora-de-marrocos/ acesso dia:05/05/09

Alguns dos rituais do Marrocos são:

Casamento:

A cerimônia de casamento no Marrocos está diretamente relacionado as tradições e costumes. Ela pode ser celebrada mais de um dia, e a maioria das praticas podem evoluir em torno da beleza da noiva, sua família e de seu esposo. A cerimônia, chamada 3ers em Marrocos, é um dos rituais de orgulho, pois envolve a melhor culinária, trajes tradicionais, música, e muito mais.

Nascimento:

Desde o primeiro dia, neste mundo, o bebe tem o centro do palco para festas que duram sete dias, enquanto os pais saboreiam com gosto os seus passos, em parte. Na véspera desta grande cerimônia, a mãe é visitada por um desfile de garotas folheadas em requintadamente bordados kaftans (traje tradicional) trazendo suas sofisticadas folhas, biscoitos e uma ovelha. O nascimento realmente oferece a oportunidade para a familia, a aldeia, e por extensão a toda tribo para marcar seu inabalável compromisso com suas origens e tradições.

Festival Ashura

O festival Achura, é o mais importante dos mulçumanos xiitas. Tem lugar no décimo dia do mês sagrado mulçumano do Muharram e é observado em memória do martírio do imã Hussein em Karbala, cerca de treze speculos atrás. Profeta Imã precisto sua vida no exercício de califa. A Ashura, é uma essência um dia de luto e os rituais envolvem uma onda de tristeza. De fato, a Ashura celebra como flagelação (que é amarração com chicotes ou mesmo pequenas facas com arestas vivas) são muito bem conhecidas e bem reconhecidas no mundo todo. Neste dia, os homens membros da comunidade xiita usam chicotes ou facas para fazer uns aos outros sangrar. Esta prática e considerada de modo a refletir a tristeza do mundo islâmico quando Hussein morreu.

Feito por: Bárbara Amin Propst

Disponivel em:

http://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&langpair=en|pt&u=http://www.morocco.com/blog/weddings-in-morocco-a-fusion-of-rituals&prev=/translate_s%3Fhl%3Dpt-BR%26q%3Drituais%2Bmarroquinos%26tq%3DMoroccan%2Brituals%26sl%

http://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&langpair=en|pt&u=http://jis.oxfordjournals.org/cgi/content/full/17/1/114&prev=/translate_s%3Fhl%3Dpt-BR%26q%3Drituais%2Bmarroquinos%26tq%3DMoroccan%2Brituals%26sl%3Dpt%26tl%3Den%26start%3D10

No Marrocos, é permitido ter a religião que quiser (o islamismo é predominante). O governo não permite que a pessoa mude de religião. Sobre isso, o governo no dia 01/04/09  declararou que:

fonte: deviantart.com

fonte: deviantart.com

“Assim como os países ocidentais e protegem a fé cristã a partir da propagação do Islã, o Marrocos tem o direito de proteger a sua religião” [...], o Marrocos proíbe aos indivíduos mudar de fé e tem todo o direito de aplicar a lei.”
O governo também é contra os proselitismo, ou seja, pessoas que tentam converter outros a uma mesma religião. Como é proibido mudar de religião, também é contra a lei ser um destes.
O Estado tenta ao máximo “exterminar” os proselitistas, porém, poucas instituições apoiam. Mesmo assim, o governo do Marrocos defende a ideia de que tem o direito de proteger a religião da fé cristã.

Fonte: http://magharebia.com, acessado em 03/05/2009.

Divindade Cultuada
A cultura marroquina tem como religião o islamismo, uma religião monoteísta. Nessa religião o Islã crê que Allah é o único Deus, todo poderoso, o misericordioso, Allah é soberano a tudo e a todos. A palavra islã significa submeter à lei e à vontade de Allah e submissão absoluta do ser diante de Deus. O Islã também acredita que Muhammad é o seu profeta e Maomé o mensageiro de Deus.

Principais Dogmas
O Islão ensina seis crenças/dogmas principais:
• A crença em Alá (Allah), único Deus existente;
• A crença nos Anjos, seres criados por Alá;
• A crença nos Livros Sagrados, entre os quais se encontram a Torá, os Salmos e o Evangelho. O Alcorão é o principal e mais completo livro sagrado, constituindo a colectânea dos ensinamentos revelados por Alá ao profeta Maomé;
• A crença em vários profetas enviados à humanidade, dos quais Maomé é o último;
• A crença no dia do Julgamento Final, no qual as acções de cada pessoa serão avaliadas;
• A crença na predestinação: Alá tudo sabe e possui o poder de decidir sobre o que acontece a cada pessoa.

Bibliografia

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/story/2003/09/030910_islamismobase.shtml

http://pt.wikipedia.org/wiki/Isl%C3%A3o

agosto 2014
D S T Q Q S S
« ago    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Arquivos

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.